The Beast

   Por onde começar? Sim, sentamo-nos no sofá com o bloco de notas e a caneta à espera de inspiração para começar este artigo. Não é pelo automóvel que aqui temos, que deve ser, sem grande margem para dúvidas, um dos projectos mais impactantes que fotografamos desde que a All Wheels Photography surgiu. Convenhamos, ver uma Audi RS6 C7 (código interno) em Portugal já é algo raro mas ver uma com o nível de preparação que esta tem é algo ainda mais incomum e difícil. Claro que quem anda nestas «lides» e segue outros mercados de personalização automóvel (especialmente o britânico, alemão ou polaco) já viu algumas preparações bem interessantes com base nestes modelos de topo. Apesar de ser uma carrinha, esta RS6 com motor V8 e 580 cavalos pode ser chamada, facilmente, de super-carro e creio que tal como nós na AWP, também vocês não se importavam de ter na vossa garagem!

Por onde começar? Esta RS6 é fe--no-me-nal!

      A maioria dos aficionados da velocidade e dos desportivos preferem os coupés ou descapotáveis para «enterrar» as suas poupanças ou apenas a adrenalina. Mas é facto que as marcas automóveis têm decidido (felizmente) colocar motores potentes e utilizados nos tais superdesportivos em veículos com um toque mais familiar, seja em SUV’s, em sedans ou em carrinhas. E se há facto constatado é que em Portugal o gosto pelas carrinhas (ou stationwagons – SW) é grande e quase metade dos veículos vendidos nos últimos 5 anos foram no formato SUV e SW. Mas não é pelo mercado português que as marcas fazem estas carrinhas potentes mas sim pelo crescente gosto global por este tipo de veículos e porque, na sua maioria, têm história por detrás dos emblemas. E a Audi RS é uma delas.

     Desde o célebre Audi Quattro, vencedor dos maiores troços de rally de sempre e dono e senhor de uma eficácia ímpar seja em que piso for, que a Audi aposta na tracção Quattro (não precisamos de explicar o que significa, certo?) nos seus modelos de topo e até tem «emprestado» a sua sapiência para outras marcas. Mas foquemo-nos nos Audi desportivos principalmente os que orgulhosamente ostentam a sigla RS na grelha. E não se iludam, não é a primeira RS que temos na AWP mas é a primeira que ansiavamos fotografar não só pelo modelo em si (sim, as Audi RS4 e RS6 são, talvez, dos nossos carros «modernos» favoritos) como pelo facto de ser um exclusivo para a AWP e, principalmente, por pertencer a um dos nossos amigos e apoiantes desde o nosso início da nossa aventura.

    O Bruno idealizou este projecto desde o início. Vendeu o seu Audi Q5 (que também tinha um excelente nível de preparação) para investir num novo projecto e que tal como o SUV, tinha de superar as expectativas e ser numa base pouco ou nada vista no nosso país. Ora bem, uma RS6 ao não ser acessível a qualquer bolsa, ajuda na parte da exclusividade e se a isso juntarmos material de topo no que é alterado, temos perante nós algo verdadeiramente fenomenal. Sim, até estas palavras já viram bem o que temos aqui e o que é facto é que a sessão fotográfica pareceu curta para captar todos os detalhes e o estilo que esta RS6 emana (e ainda assim, temos mais de uma centena de fotos editadas!). Mas também temos de pensar que se nos dão a exclusividade de determinados veículos, temos de justificar com quantidade e qualidade.

Facto: não conseguimos evitar tirar tantas fotografias a esta RS6!

      Já devem ter reparado no carbono. O sexto elemento da tabela periódica é aqui a estrela do ponto de vista estético pois o ar desportivo e «mauzão» já vem de fábrica. E o que tem este carbono de especial para o mencionarmos antes de qualquer outro detalhe? É que é feito pelo dono, o Bruno no seu tempo livre. Frisos, grelhas em carbono são detalhes que não enjoam num desportivo destes e tendo em conta que são home-made ainda torna tudo mais interessante e cativante de seguir, de apreciar e claro, de fotografar. Mas quem habitualmente segue os nossos artigos sabe que gostamos de vos «conduzir» ao longo do texto, para que não vos escape detalhes e pormenores que por vezes as fotografias podem não transmitir numa primeira espreitadela.

Ameaçador.

      Na frente o impacto desta carrinha é enorme. A grelha central ocupa metade desta secção da RS6 e o facto de a travessa interior e o rebordo em carbono dá-lhe um aspecto ainda mais especial e único. A inscrição Quattro e as entradas de ar inferiores laterais também em carbono acentua o impacto desportivo. Depois temos os detalhes mais virados para o luxo, nomeadamente os faróis full-led, sensores de estacionamento e radares do cruise-control, aproximação e restante panóplia mais virada para a segurança activa e passiva. Mas num todo, bem meus caros, num todo a frente desta C7 é imponente, é bruta, é avassaladora! E se já estávamos abismados com tudo isto, o Bruno resolve abrir o capot e mostrar a obra-prima que é este V8 de 580 cavalos. E se isso não bastasse, ainda lhe juntou mais alguns detalhes (em carbono claro!). Falamos da admissão Eventuri que alberga os dois filtros de ar (não se esqueçam que esta «besta» é biturbo) e é numerada! Sim, uma admissão numerada e feita à medida para este motor. É outro nível!

    Quando espreitamos a lateral percebemos que esta SW é grande. É enorme e o impacto que a frente tem continua nesta zona. E claro que para acentuar as linhas desportivas dadas pelas embaladeiras e pelos guarda-lamas bem largos temos o trabalho de suspensão HP Drivetech com gestão Accuair onde a Mkult deu uma «mão» na instalação e manutenção e as generosas jantes de 22 polegadas (com 10,5 de largura) da Rotiform Dus tripartidas estão envoltas na «pouca borracha» que são os pneus 295/25! E se os números impressionam por si, ao ver esta carrinha rolar e quando parqueada, assentar o «peito» no chão faz-nos dar uns passos atrás e admirar a totalidade deste projecto. A forma como tudo se conjuga e assenta numa harmonia difícil de igualar faz-nos perceber o porquê de termos aguardado pela exclusividade de fotografar esta beldade.

Rotiform Dus, 22 polegadas, perfil 25... o que dizer mais?

   Mas calma, ainda não estamos a terminar. A traseira termina o trabalho de agressividade de desportividade que as outras secções começaram. Claro que salta logo à vista as quatro saídas de escape Akrapovic e o difusor em carbono que as rodeia. E sim, é carbono verdadeiro e os escapes são mesmo Akrapovic e não apenas ponteiras. O resultado? Bem… uma «voz» digna de um tenor, um som completamente cru, profundo, gutural e com um impacto que apenas um V8 com esteróides pode ter. E olhando para a traseira desta RS6 reparamos no trabalho estético da Audi nesta carrinha com os painéis traseiros muito largos que ajudam a esconder as rodas quando a suspensão está rebaixada.

    Ainda com tempo, aproveitamos para algumas fotografias ao interior. Aqui o cariz desportivo é aprofundado mas sem comprometer o luxo e a tecnologia de ponta que as topo de gama da Audi habituaram a mostrar aos seus clientes. Destacamos de imediato o feeling premium que este habitáculo tem, mesmo com as adições desportivas que o Bruno fez como o volante R8 com patilhas e topo em carbono (óbvio) e o deslumbrante botão Start. Depois, os frisos em carbono que «casam» tão bem com a pele que abunda um pouco por todo o lado neste interior. O padrão hexagonal dos bancos, a consola central também em carbono e o ecrã multimédia dissimulado dão o tal toque mais premium tão essencial nesta RS6.

     Claro que nenhum projecto com suspensão a ar fica pronto sem o controlador em local de destaque. No entanto, a sobriedade é chave neste projecto e o controlador e-Level habitualmente está arrumado num dos compartimentos desta Audi. Ainda assim, não hesitámos em fotografá-lo, dado que faz parte integrante e importante deste fenomenal projecto. E se estamos bem neste interior. Os bancos são confortáveis, com inúmeros apoios e ajustes e o volante tem uma pega perfeita; E já falamos da bonita alavanca de velocidades? Ou da zona de comando multimédia? Podíamos ficar aqui mais uns bons parágrafos a destacar x ou y neste projecto mas não queremos prolongar muito as letras deste artigo e sabemos bem que as nossas fotos falam por si.

    E sim, as nossas estimativas aconteceram. As fotos em andamento são realmente uma maravilha e modéstia à parte, ficaram impressionantes. O rolar desta RS6 impressiona pela suavidade e pela altura ao solo, bastante reduzida tento em conta se tratar de uma carrinha de quase 600 cavalos, com bastante material aplicado e umas jantes de 22 polegadas. Mas mais impressionante ainda é a forma como tudo funciona. E se já gostávamos de carrinhas e em especial carrinhas Audi RS… esta tornou-se rapidamente na nossa favorita e foi um verdadeiro prazer podermos mostrar em exclusivo este projecto único em Portugal. Aproveitamos apenas para acrescentar os agradecimentos que o Bruno faz e que ajudaram na construção deste projecto: a Alfamax, a Lavagem Caetano e a M-Kult, entre outros.

error: Content is protected !!