E-Thirty

    Há momentos da nossa vida em que a sensação em que tudo se coordena e conjuga de forma perfeita se instala. Sim, já escrevemos estas palavras anteriormente mas sentimos a necessidade de as repetir, pois não acreditamos em coincidências. Acreditamos sim que o nosso trabalho merece estas “salvas de palmas” do destino, por vezes. Para vos situar temporalmente, esta sessão fotográfica decorreu ainda nos «finalmentes» do evento Drop’pt, aproveitando que o sol chegava ao ponto perfeito para as fotografias. A tal «golden hour» prova, mais uma vez, que por vezes é preciso esperar pelo momento certo para fazermos o que tanto gostamos e felizmente que o recinto já estava praticamente vazio às 19h, altura em que fizemos o gosto ao dedo e aos olhos, honestamente.

Falemos de «fitment»...

     E falamos disso porquê? Este BMW E30 é um regalo para quem é fã deste tipologia de automóvel onde impera o detalhe, a sofisticação da associação de ideias e claro, o bom gosto de quem o imagina, executa e por fim, estima. Um BMW E30 já é um automóvel que move muita gente; atualmente é inclusive um dos clássicos mais apetecíveis para estimar e para personalizar. É imensa a oferta de material, de opções de alterações, de estilos a seguir mas há um factor em comum: a bela base que este BMW é, seja qual for a opção que se tome.

O sol baixo abriu as cores quentes, ideais para fotografar este E30.

    Construído entre 1982 e 1994, o reinado do série 3 da década de 80 começou logo na apresentação ao público. As encomendas dispararam e ajudaram a BMW a instalar-se na liderança do segmento dos executivos compactos, ao destronar a Audi e Mercedes. Além desta «vitória», o modelo alemão da marca bávara era mais confortável, mais divertido de conduzir e mais barato de manter. O modelo de motor frontal e tracção traseira começou aqui a mostrar serviço e a tornar-se a imagem de marca da BMW que vinga até aos dias de hoje (embora infelizmente a marca da hélice teime em começar a abandonar essa ideia… esperemos que seja uma fase, apenas).

    Mas como já viram pelas fotos que até aqui embelezaram estas linhas, este BMW E30 não é «normal», nem está original… aliás, aqui a palavra «original» até deveria ser mantida, pois não há igual e os detalhes sucedem-se em cada centímetro quadrado de carro. Antes de avançarmos com alguns desses detalhes, importa agradecer a oportunidade ao Luis Ribeiro, um dos organizadores do evento de fotografar à vontade o seu projecto. Um automóvel feito com calma, que demorou o seu tempo a sair e que foi construído com um ponto em mente: agradar ao seu dono, e não às massas que seguem este mundo e que são aficionados dos modelos personalizados. Não está ao gosto de todos, nem tem de estar. A cultura da personalização entrou numa espiral descendente e tem sido a custo que alguns dos que por este mundo avançam, o fazem contra a maré. Não importa ter carro da «moda», importa sim ter carro da nossa moda, do nosso estilo. Mas… avante.

Hella. Essencial num projecto destes!

    Uma das alterações mais importantes feitas neste modelo é aquela que muitos desconhecem e que não está «visível». Este E30 é sul africano e como tal, o volante estava à direita. O trabalho de conversão deu «trabalho» mas o fruto que se colhe no fim é sem dúvida de louvar. Ao entrar no habitáculo é clara a dedicação colocada neste projecto. O volante BBS com aplicações em madeira é um must-have neste espaço onde abunda o preto tão típico da década de 80. A pele é outro ponto em destaque, com os bancos a oferecerem apoio lateral quanto baste para o veículo em questão. No tablier destacamos o rádio original BMW Business com melhoria do sistema de som e leitor de CD’s. Na realidade, o «aroma» a clássico está presente e é um prazer estar sentado ao volante deste E30 e sabemos que ainda vai ser melhor quando levar os Recaro do Audi S2.

    Mas fechemos a porta e aproveitemos mais desta luz dourada que incide na fantástica cor deste BMW. Trata-se da Ruby Red Metallic, cor original embora neste E30 tenha umas adições na mistura, criando uma tonalidade ligeiramente mais dourada. O que é facto é que esta cor não é fácil de captar em fotografia, especialmente quando o carro está parqueado com parte à sombra, parte ao sol. Já com a luminosidade reduzida o tom desta cor salta à vista e puxa à fotografia, faz-nos clicar bem mais no botão, procurando os ângulos com contra-sol e reflexos e apesar deste E30 já ter algum pó, fruto dos dois dias de exposição e das centenas de pessoas que em volta dele passaram e o apreciaram.

     A frente tem uma das alterações mais mediáticas e que mais chamam à atenção e que pouco se vêm nestes modelos talvez por não ser do agrado de todos; falamos do avental frontal americano do 325is que, por ser dos EUA, é mais avançado que o «normal», Além disso, as quatro entradas de ar inferiores em paralelo com as superiores captam a atenção e aumentam a forma como o carro se «cola» ao chão. Destacamos ainda as tampas dos faróis de nevoeiro da BMW, os piscas escurecidos e as tampas Hella e por fim, o «pin» que orgulhosamente representa o BMW Car Club da América (BMW CCA). No topo dos guarda-lamas está talvez uma das peças mais raras de ver nos E30, os deflectores de vento / fenderflares da Kamei

BMW E30 e BBS, há combinação melhor?

    Na lateral a temática «EUA» mantém-se. As embaladeiras são originárias do mesmo modelo 325is e os sidemarkers também receberam o mesmo tratamento da frente, com um escurecimento ligeiro mas que resulta muito bem. Claro que nestes modelos, o que mais chama à atenção neste ângulo é o rebaixamento e as jantes. No capítulo da suspensão este E30 recebeu a já obrigatória suspensão a ar Airlift Performance com gestão 3H que permite o impacto visual que aqui vemos. A juntar a isto, as fantásticas jantes BBS RS convertidas de 16 polegadas para 17 com abas Radinox e centros BBS personalizados. A frente tem 8,75 polegadas de largura enquanto atrás tem uma polegada a mais, montando pneus 195/40 e 205/40, respectivamente.

     Por fim, a traseira. Também aqui o estilo americano se manteve, com um lip na mala da Mtech em preto que contrasta na perfeição com o tal tom rubi da pintura. Também os farolins Startec com anulação do laranja e os sidemarkers escurecidos ajudam a manter a postura irrepreensível deste BMW. A agressividade deste E30 ao nível da traseira está garantida com a dupla saída de escape, tão característica dos modelos otto desta carroçaria. Depois desta sessão fotográfica, já foi montado o window louvre original do E30 (trata-se da «persiana» que se coloca no vidro traseiro).

    Com o apetite dos presentes a instalar-se, era altura de fazer uns últimos clicks, aproveitando o sol cada vez mais baixo e mais dourado. Ficávamos horas a apreciar a forma como este E30 pousa no chão, a postura que tem e os detalhes que abundam num automóvel que além de clássico, tem a importância de mostrar algumas alterações menos comuns e algo difíceis de «engolir» por alguns (mas sobre isso, remetemos para o quarto parágrafo). Fomos quase arrastados pelos nossos companheiros de aventura destes dias para irmos embora e para terminar a sessão fotográfica já o sol se escondia no horizonte da Quinta Lago dos Cisnes, um local tão interessante para visitar mesmo sem um evento de automóveis por lá. Natureza, boa luz e excelentes projectos… um sonho para malta que tal como nós, gostamos muito de passar bons momentos com os nossos amigos/família rodeados de boas peças automóveis. E sem dúvida que este BMW E30 é uma dessas belas peças, diríamos até, dignas de museu.

error: Content is protected !!