Cortez’s Clubman

   Quase que podíamos aqui escrever uma sequela de um outro artigo, dada a ligação directa entre ambos. Falamos do Mercedes-Benz 300 SDL apelidado de «O Americano» cujo artigo foi apresentado há duas semanas. No final, podiam ler que fomos ter com um dos responsáveis por esse projecto e amigo da equipa da All Wheels Photography a quem já «devíamos» umas quantas fotografias do seu projecto. Sim, estamos novamente a norte do país, às portas de Paços de Ferreira, e sim, temos mais um projecto automóvel para mostrar.

   Não é segredo que nos sentimos bem a fotografar Mini’s, basta ver que uma das famílias que mais temos acompanhado é composta por excelentes exemplares da marca britânica… ou alemã, conforme as visões sobre o assunto. E realmente, não podemos fugir às evidências de que a carrinha da marca Mini é, sem sombra de dúvidas, um dos formatos de carroçaria mais interessantes, razão pela qual já é a segunda que colocamos no nosso portefólio.

   Habitualmente forçamos um pouco o lado teórico e histórico de cada modelo, falando da sua origem, alguns detalhes que tornam os modelos tão especiais ou apetecíveis. No entanto, e por já termos abordado a temática Mini Clubman, apenas queremos relembrar que estamos perante um modelo que está em comercialização há 10 anos (com o surgimento da geração R56) e que a sua estética arrojada, com dupla porta de bagageira e abertura suicida do lado do pendura, se mantém como algo único, dado que a nova geração do Clubman perdeu esses encantos e adoptou, pelo menos na lateral, o mais tradicional sistema de duas portas de cada lado e de abertura «normal».

As maravilhas estéticas do kit JCW.

    Apesar dos tais 10 anos de vida, achamos e bem que os Minis envelhecem um pouco como bom vinho, vão sempre mantendo o charme e a tendência de fazer os transeuntes virar a cabeça e olhar, admirar e aprovar o Mini. Especialmente quando existem ainda mais factores como umas jantes maiores e mais raras ou uma altura ao chão diferente. Ora bem, este Clubman tem isso tudo. Antes de entrarmos dentro do óbvio, estamos perante um modelo que de base trazia alguns extras mas que era, tal como a maioria dos automóveis no mercado, igual a tantos outros. Assim, o seu dono decidiu, e bem, apostar na estética do topo de gama John Cooper Works e utilizar o seu Aerokit para transformar o Clubman num automóvel mais agressivo e desportivo.

   A cor pode ser menos chamativa mas o contraste criado entre o creme da carroçaria e as aplicações a preto do aerokit atribuem um ar bastante desportivo a esta carrinha, removendo mais aquele «carimbo» de carro familiar. Depois, o excelente acerto de suspensão que, como não poderia deixar de ser, recorre a um sistema Airlift Performance 3H para atribuir a este Clubman a postura que se vê… aliás, o look é tão bom que damos por nós na redacção da AWP a olhar para as fotos e a tentar perceber o que mais dizer pois se há momento em que uma imagem vale mais do que mil palavras, este é um deles!

    Depois as jantes. Este projecto já conheceu tanto conjunto de jantes que o difícil é escolher qual o que melhor assenta; no entanto, nenhum desses conjuntos ficava mal mas a aposta num projecto como este é sempre ter algo único e com alguma raridade e aqui não foi necessário chegar à excentricidade de jantes «xpto», sem tirar qualquer mérito às bonitas OZ. Confessamos que estávamos cépticos em relação ao aspecto da Clubman com estas jantes mas bastou vê-la no estacionamento à nossa espera que todas as dúvidas se dissiparam: as OZ Cygnus, em 17 polegadas com 8 de largura ficam tão bem nesta Mini e casam na perfeição com o abusado rebaixamento possível não só pelo sistema pneumático como pela escolha de pneus 195/40 que permite «esconder» parte do pneu na carroçaria quando se baixa o automóvel.

    No interior o destaque vai para as aplicações em carbono no tablier e para o sistema de infotaiment com navegação original Mini. Bem, na realidade o destaque nem é bem para o que referimos, mas efectivamente é o que está à vista, pois aquilo que todos gostam de ver nestes projectos está escondido na bagageira. Falamos, claro, do sistema Airlift que está comodamente instalado no poço da roda suplente, tentando otimizar o espaço de arrumação naquela zona do carro que, conforme já se sabe, já não é muito grande.

Um local agradável para se estar, com bastantes extras e conforto.

   Tudo feito na tal DownGarage, da qual o dono deste Mini é proprietário e onde o nosso Americano também recorre para realizar algumas alterações e melhorias. Se há coisa melhor do que tornar um automóvel único e feito à imagem de cada um de nós, é fazê-lo pelas próprias mãos e isso deve ser devidamente valorizado. Um dia bem passado com a «malta do norte» que mostram, novamente, que os automóveis são mesmo o motivo para reunir os amigos em torno de algo em comum. Venham os encontros de Verão, que lá os encontraremos!

error: Content is protected !!