Aufrecht Melcher Grosspach

   Em 1954 a Mercedez-Benz mostrou ao mundo no Salão Internacional de Genebra um dos mais conhecidos e apaixonantes automóveis da história, o 300SL, chamado também de «Asas de Gaivota» devido à sua peculiar abertura de portas. Este Gullwing ainda hoje é um dos ícones da marca da estrela e carro de sonho de muitos petrolheads pela importância que teve para a Mercedes dado que foi o seu primeiro modelo desportivo após a segunda Guerra Mundial e pela sua estética de cortar a respiração. Mas certamente que já perceberam que não é um 300 SL que temos aqui. Impossibilitados de ter um desses à frente das lentes, para já, resolvemos aceitar mais um convite do nosso parceiro Overlay para ir conhecer o herdeiro da lenda 300 SL, o SLS. E sim, temos de falar do 300SL para enquadrar esta reinterpretação moderna da flecha de prata, apesar do modelo que aqui mostramos ser o roadster e como tal, não ter as fantásticas portas asa-de-gaivota.

O SLS é daqueles carros que podemos brincar bastante com luz e composição.

    Apesar de limitados pelo tempo e pela disponibilidade de ambas as equipas, a All Wheels Photography deslocou-se à Overlay para ver este excelente exemplar e realizar uma reportagem sobre o processo de protecção da pintura recorrendo a película transparente de alta resistência. Quando chegámos ao local, percebemos que estávamos perante um SLS mais incomum que o normal, tratando-se do SLS Final Edition, uma versão especial, limitada a 350 unidades que marca a despedida deste modelo. E como o veículo é raro e bastante especial, e se tratava de um processo de várias fases e com necessidade de registo em vários dias, resolvemos convidar o nosso amigo Pedro Pherreira que conhecemos de outras andanças automobilísticas para registar em vídeo os vários passos deste procedimento (podem ver o vídeo na parte final do artigo).

O último dos SLS tem detalhes à altura da edição limitada que é. Captar em fotografia esses detalhes num estúdio com luz artificial foi um desafio.

    Rapidamente, e contanto que em breve possamos fotografar este SLS Final Edition na rua e fazer um artigo dedicado, este SLS limitado conta com o mesmo motor V8 de 6.3 litros e 591 cavalos do SLS normal, sendo a nível estético que as diferenças mais se fazem sentir. Diversos apêndices em carbono e um spoiler traseiro fixo também neste compósito tornam o aspecto agressivo do SLS ainda mais aprimorado. E com tanto detalhe e uma pintura em cinza mate, imaculadamente mantida desde a venda, este SLS merecia realmente um tratamento como o que aqui mostramos, aumentando a longevidade do material e claro, protegendo este Mercedes-Benz das agressões do mundo exterior.

      O interior do Final Edition também tem algumas alterações comparando com o SLS normal. O revestimento dos bancos em pele com padrão de diamante e a chapa que numera cada exemplar assinalam a especificidade deste modelo. Claro que não ficamos indiferentes ao logo da origem da AMG nos encostos de cabeça ou na chave deste SLS ou… bem, a tudo na verdade. Este SLS tem detalhes em cada canto e a atenção ao detalhe e ao cuidado na montagem honram a história e herança da Mercedes. Do interior, voltamos ao exterior e… ao trabalho!

     O processo de protecção deste SLS começou na preparação do carro em si. À lavagem com produtos de detalhe automóvel seguiu-se a descontaminação da pintura e correcção de pormenores. Após este trabalho, todo o carro foi detalhado e preparado minuciosamente para que a película não fosse aplicada sobre qualquer tipo de defeito na pintura ou no carbono. Depois disso, foi hora de desmontar algumas peças do SLS, nomeadamente o spoiler traseiro e algumas zonas do pára-choques e capot, para que a película pudesse ser convenientemente bem instalada.

     A aplicação da película em si não tem segredos. O único segredo aqui está na atenção ao detalhe e no cuidado na aplicação deste e de outros tipos de películas. De forma a evitar a formação de micro-riscos ou imperfeições debaixo da película, a mesma é pulverizada com uma solução aquosa para que adira da melhor forma ao SLS. Depois desta ser humedecida, é esticada e aplicada sobre o carro, sendo posteriormente esticada com auxílio de espátulas sendo em alguns locais necessária a utilização da mão, pois o tacto é parte integrante da boa aplicação de películas. Painel a painel, o SLS vai ganhando a protecção devida, sem se alterar ou desvirtuar a cor original e os detalhes da carroçaria que tanta atenção pedem.

Ao contrário do que possamos dar a entender, isto não é trabalho de um dia ou dois. São necessários por vezes mais do que sete dias para que todo o carro fique bem peliculado e protegido, para garantir a melhor satisfação do dono do veículo. Terminada a aplicação, novo cuidado de imagem. A película é verificada ao pormenor e corrigidas possíveis falhas ou incoerências do material aplicado. Por fim, lavar novamente o automóvel e claro, prepará-lo para a entrega.

     Um veículo intemporal, único, extremamente bem conseguido e com uma alma ímpar cujo valor de venda em novo chegava perto dos 300 000 € merece esta atenção e cuidado. Obviamente que para ser convenientemente protegida a pintura, recorrendo à película, a Overlay é a empresa a contactar. Deixamos-vos com o vídeo das várias fases do processo.

error: Content is protected !!