48h Alfa Romeo Lizitália 2019

    Quando começámos com o projecto da All Wheels Photography um dos nossos objectivos primários era explorar a fotografia e evoluirmos as nossas técnicas. Contudo, rapidamente percebemos que tínhamos de acrescentar pontos importantes na nossa lista de objectivos e um deles, talvez um dos mais interessantes, é mergulhar no oceano de cultura que é o mundo automóvel. Assim, nos últimos 3 anos, praticamente desde o arranque desta aventura que tem sido a AWP, temos vindo a acompanhar projectos pessoais e também colectivos, onde quantidades saudáveis de pessoas se reúnem à volta de um mesmo tema, seja ele uma marca específica ou um espírito livre ligado ao automóvel em si. Mais especificamente e tal como já devem ter percebido pelas fotografias de «abertura» deste artigo, temos tido a oportunidade de ver crescer um grupo de aficionados que juntos ostentam as cores duma marca a que muitos chamam «alma automóvel»: a Alfa Romeo.

     Pelo terceiro ano consecutivo fomos convidados a acompanhar os tais fãs dedicados à marca italiana num evento único em território nacional e que tem conquistado espaço nas agendas pessoais de muitos alfisti, inclusive além fronteiras. Colocamo-nos a caminho do que 48 horas de cuore sportivo para participar nas 48h Alfa Romeo Lizitália de 2019. Nas primeiras horas da manhã do dia 23 de Março já palpitávamos de excitação nos quilómetros antes da chegada ao concessionário Lizitália (Grupo Lizauto) em Leiria. E rapidamente percebemos o porque da nossa própria excitação: esperavam-nos cerca de 160 participantes e 80 carros. Com números bem grandes e batendo os recordes dos anos anteriores, a reunião matinal que englobou pequeno-almoço num espaço com decoração dedicada ao evento decorreu a um ritmo alucinante, sendo um dos pontos altos da manhã as boas-vindas na passadeira vermelha a todos os participantes, seguido da acreditação para o evento e do obrigatório briefing inicial.

    O dia amanhecia soalheiro e convidava ao convívio no parque automóvel que rapidamente ficaria recheado de Alfas de vários períodos, desde o experiente GTV até ao ultimo modelo a receber a insígnia do trevo da casa italiana, o Stelvio. No briefing foi-nos prometido uma aparição surpresa durante o almoço e foi com essa promessa que rumámos em direcção à Barragem da Aguieira através de algumas das mais cénicas estradas de Portugal. Nesta porção dos cerca de 400 km’s de circuito do fim-de-semana, os Alfa sentiam-se em casa e espalharam magia até ao local do almoço de sábado. Este trajecto, com um misto de auto-estrada e estrada regional permitiu-nos não só ver os alfisti a acelerarem pelas rectas como também pelas estradas sinuosas a acompanhar o rio Mondego. A primeira secção de agilidade do dia estava cumprida e abria o apetite para o menu de degustação que nos esperava à hora de almoço.

Os Guilia Quadrifoglio foram o centro das atenções para os aficionados, mas não foram os únicos. A partilha da ribalta com clássicos como o GTV e o 75 e com os inúmeros 4C foi uma constante.
Em quallquer ponto do percurso os Alfas mostravam a sua beleza e fotogenia.

     O parque do restaurante situado no Montebelo Resort and Spa rapidamente se encheu com a numerosa comitiva italiana e a vista sobre a Barragem da Aguieira ajudou a abrir-nos o apetite e a perceber que este fim-de-semana iria ficar na nossa memória por muito tempo. A refeição de excelente qualidade e bem acompanhada por muitas histórias, conversas e claro, relatos de aventuras ao volante dos carros da Casa de Biscione (brasão da casa italiana de Visconti que também embeleza o logótipo da Alfa Romeo) e apesar de todos animados, a excitação ia tomando conta de cada um dos presentes devido à tal promessa feita pela organização durante o pequeno-almoço.

    No momento dos digestivos e quando já nos preparávamos para a tarde que se avizinhava, eis que nos deparamos com uma presença muito especial no estacionamento. Claramente demarcando-se das restantes formas automotivas estava um Alfa Romeo 1900 SSC gentilmente cedido pelo Museu do Caramulo. As palavras superleggera no capot davam a entender que não era um Alfa comum e rapidamente os cerca de 160 participantes puderam passar os olhos por um pedaço de história italiana que enche o olhar dos visitantes do referido Museu (que a ele voltaremos mais tarde). Hora de voltar à estrada e rumar à Serra da Estrela!

    E se o percurso da parte da manhã já deixou água na boca dos participantes do evento, o que dizer da escolha de estradas da tarde?! O itinerário sinuoso de estradas de montanha com asfalto bem interessante davam as boas vindas ao grupo de 80 automóveis que coloriam e davam vida a aldeias inteiras, com as passagens dos mais barulhentos 4C e Quadrifoglios (Guilia e Stelvio). Curva após curva, cada uma das bellas mostrava a sua raça e simultaneamente elegância ao percorrer o asfalto de boa qualidade. A chegada à serra foi abençoada por um pouco de chuva mas nada que estragasse a nossa viagem e a vista fenomenal que íamos tendo como pano de fundo. O destino era Gouveia e esperava-nos a visita ao Museu da Miniatura Automóvel e um passeio pela cidade.

Elegância e classe pelas estradas da Serra da Estrela.

    Chegados a esta cidade da Beira Alta, o grupo foi apresentado à cultura local passando por locais mais emblemáticos como a Igreja e a Câmara Municipal, onde tivemos a oportunidade de repor energias ao degustar aperitivos típicos daquela zona do país. Sem perder o embalo, seguimos para o «prato principal», a visita ao Museu da Miniatura, onde era claro o enorme orgulho do proprietário na colecção ali apresentada. Desde as apresentações de miniaturas de carros de WRC e seus paddocks passando pela temática Porsche, espólio de miniaturas de vitórias portuguesas em vários desportos automobilísticos e claro, pela temática da Fórmula 1 e de Le Mans, o número de miniaturas expostas é superior ao espaço que temos para vos escrever sobre elas pelo que aconselhamos vivamente a visita a Gouveia e a este pólo de cultura automóvel.

Gouveia recebeu a comitiva de braços abertos.

    As histórias sucediam-se e o dono do Museu contava-as de uma forma apaixonante. Cada peça exposta continha uma série de detalhes da sua aquisição e isso enriqueceu-nos a alma. O ponto alto desta visita foi a inauguração de uma parte da exposição focada e dedicada à Alfa Romeo, marca muito querida pelo dono do Museu, ele próprio um alfisti participante no evento. Com o tempo a fugir rapidamente, era tempo dele e restante comitiva seguir viagem até ao destino final do dia: o Museu do Caramulo, onde iríamos jantar com umas companhias especiais.

    Saídos de Gouveia, o roadbook das 48H Lizitália rapidamente nos levou à Serra do Caramulo e ao Hotel Golden Tulip onde iríamos pernoitar. As estradas serranas cumpriram novamente com a fama de excepcionais e o serpentear das curvas proporcionou mais um espetacular momento de condução. No Caramulo fomos recebidos por um céu carregado mas contido na chuva. Com as bellas parqueadas nos jardins em volta do Hotel Golden Tulip era altura de entrarmos num dos pontos de referência para todos os petrolheads portugueses e onde estivemos na última edição do Caramulo Motorfestival, o Museu do Caramulo, onde iríamos jantar.

    Caracterizado por duas colecções diferentes, o Museu do Caramulo apresentava a sua colecção fixa num dos pavilhões e no principal, uma exposição especial dedicada aos 120 anos da Renault onde carros icónicos como o Alpine A110 ou o Clio V6 Phase 2 alegravam o olhar dos fãs italianos da Alfa Romeo. Nada de clubismos ou fanatismos, todos os presentes sabem reconhecer um belo automóvel e os presentes na exposição da marca do losanglo não eram excepção. Com esta companhia, sentamo-nos à mesa para mais uns momentos de convívio sendo a «sobremesa» o mesmo Alfa Romeo SSC da hora do almoço, que nos dava as boas vindas para começarmos a visita noturna ao Museu do Caramulo e terminarmos o primeiro dia do evento.

     O amanhecer no Caramulo trouxe a visão da dimensão deste evento: o parque do hotel estava preenchido por Alfas e a visão não podia ser melhor. A cor vermelha ocupa parte do ângulo de visão e perdemo-nos largos minutos na janela do quarto a admirar as silhuetas das bellas italianas. De pequeno-almoço tomado fomos atraídos para a rua pelos roncares dos motores, uns boxers, outros V6 e após alguma «diversão sonora» era altura de rumar ao destino principal do dia: o kartódromo de Vila Nova de Paiva.

     Com a pista só para os participantes do evento era altura de libertar os cavalos dos Alfa Romeo presentes. Ambiente descontraído e divertido facilitou a diversão e rapidamente o cheiro a gasolina e pneus queimados tomou conta do kartódromo com os 4C a atacar a pista com fulgor e mostrando o equilíbrio do chassis e da curta distância entre eixos, enquanto que os mais clássicos mostravam que foram construídos para fazer as curvas com agilidade, algo que já se tinha notado no dia anterior nas curvas e contra-curvas das varias serras por onde passámos. Depois das voltas cronometradas chegou o tempo porque muitos esperavam: os Quadrifoglios Táxi! Sempre com 3 passageiros e conduzidos por 2 profissionais, os modelos mais potentes da Alfa atualmente trouxeram sorrisos e adrenalina a quem quis experimentar os limites dos QV. Tanto o Stelvio como o Giulia são automóveis bastante eficazes nas condições mas este último era o que permitia mais diversão e «liberdade de movimentos» em pista, como algumas das fotos o evidenciam.

       Pelo fim da manhã era momento de recuperar energias novamente à mesa e terminar o evento de dois dias mas não antes das últimas fotos familiares e de deixarmos o nosso agradecimento aos responsáveis por aquele espaço. Num evento que cresce a cada ano que passa é muito bom ver que a vontade de melhorar e inovar continua presente na organização. A qualidade, dedicação e atenção aos detalhes salta à vista de quem participa e não podemos deixar de nos sentirmos uns sortudos por podermos acompanhar esta família automóvel. Para o ano lá estaremos também, se assim for possível.

error: Content is protected !!